Quanto eu preciso de renda para o financiamento pela Caixa?

4 minutos para ler
Powered by Rock Convert

Adquirir um imóvel maior ou sair do aluguel está entre os objetivos da grande maioria dos brasileiros. Para conseguir isso, muitos optam por financiar uma residência. Ou seja, contratam uma linha de crédito para comprar uma propriedade. No entanto, há diversas dúvidas sobre o assunto, em especial a respeito do quanto é preciso de renda para financiamento.

Ultimamente, os bancos — a exemplo da Caixa — facilitaram o acesso aos financiamentos estipulando juros mais baixos. Além disso, entrarão em vigor novas regras para a contratação. Quer saber tudo sobre o assunto? Então, continue com a leitura do post até o final!

Entenda as regras a respeito da renda para financiamento

A renda mínima necessária para conseguir um financiamento pela Caixa depende do valor do imóvel que você deseja comprar. Então, é necessário conhecer as regras para usá-la. Veja a seguir cada uma delas.

Composição de renda

A Caixa considera a chamada renda familiar, ou seja, a soma das rendas de mais pessoas que morarão na residência. Assim, pode-se financiar um imóvel de maior valor. Afinal, com a soma de mais rendimentos, consegue-se comprovar ao banco que será possível arcar com o pagamento de uma parcela maior do financiamento.

Regra dos 30%

Segundo essa regra, a parcela do seu financiamento não pode ultrapassar 30% da renda, que deve ser comprovada à instituição financeira. Por esse motivo, optar pela composição de renda faz aumentar as chances de conseguir uma linha de crédito maior para adquirir uma residência de maior valor.

Saiba como comprovar sua renda

O objetivo do comprovante de renda é informar à Caixa qual é a sua capacidade de pagamento mensal. Nesse sentido, é baseado nesse valor que o banco determinará o limite do valor da linha de crédito. Saiba as formas de comprovar sua renda:

  • Declaração do Imposto de Renda;
  • três últimos holerites: para trabalhadores que trabalham com carteira assinada;
  • Decore: documento emitido por um contador para comprovar a renda de pessoas que não têm carteira assinada, tais como advogados, médicos, dentistas, entre outros;
  • pró-labore: para sócios de empresas;
  • extrato bancário dos últimos três meses: quando as opções acima não se aplicarem ao caso.

Veja o que mais influencia no valor do financiamento

Além da sua capacidade de pagamento, há outros fatores que influenciam no valor a ser financiado. Conheça mais sobre eles a seguir.

Relacionamento com o banco

Isso quer dizer ter uma conta na instituição financeira na qual será feito o financiamento, receber o salário nessa conta e usar os serviços e produtos do banco. Quanto melhor for esse relacionamento, menos juros são cobrados. Como consequência, as parcelas serão menores e é possível aumentar o valor a ser financiado.

Valor de entrada

Quanto maior for o valor pago na entrada, menor será o valor a ser captado por meio da linha de crédito imobiliário. Isso facilita a aprovação do financiamento, já que será necessária uma renda menor para o pagamento das prestações.

Uso do FGTS

É possível utilizar o FGTS para comprar um imóvel de diversas formas: dar como entrada, amortizar prestações ou liquidar a dívida. Para isso, é preciso ter no mínimo três anos de carteira assinada, não ter outro financiamento ativo nem outro imóvel na mesma cidade onde se pretende comprar a nova residência.

Enfim, o processo de contratação de linha de crédito imobiliário envolve diversos fatores e regras.

Conhecer as regras a respeito da renda para financiamento é o primeiro passo para conquistar a casa própria. No entanto, é imprescindível contar com uma imobiliária capacitada e de confiança tanto para ajudar na escolha do imóvel quanto para facilitar e orientar uma concessão de linha de crédito mais adequada.

Se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto ou tem alguma dica a acrescentar, deixe um comentário abaixo e compartilhe suas ideias e opiniões conosco!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-